Informativo

Sangue de Dragão

O “Sangue de Drago” (Croton lechleri) é uma árvore de porte médio a grande e pode alcançar até 20 metros de altura, encontradas na região norte do Amazonas e na Amazônia Peruana, no Equador, e na Colômbia. Embora alta, o tronco é geralmente fino tem menos de 30 cm de diâmetro e é coberto por casca lisa. Tem as folhas grandes e flores.

A Seiva do Croton é um liquido da cor vermelha, é também conhecida como: Sangue de Drago, Sangue de Grado, Dragons Blood, Sangue de Draco, Sangue Dragon, Sangue de Dragão ou Sangue de Dragoeiro.
É extraida da árvore da floresta Amazônica Peruana conhecida como CROTON LECHLERI MUELL , as pesquisas comprovam seu poder: antioxidante, adstringente e rejuvenecedor, ativando o SISTEMA IMUNOLÓGICO. É também um tonificante, cicatrizante, antiinflamatório, antitumores, germicida, bactericida, anti-fungos, anti-viral, etc.

Na medicina popular tradicional é usado no tratamento de várias doenças, entre elas:

  • Candidíase;
  • Cicatrizante natural
  • Corrimento Vaginal
  • Doenças do Pulmão
  • Gastrite
  • Câncer ( para uso externo e interno )
  • Infecções em Geral
  • Problemas osteo articulares
  • Reumatismo e Ossos em Geral
  • Artrite
  • Artrose
  • Bursite

Úlcera na Boca, Garganta, nos Intestinos e no Estômago (Feridas Internas)

Reforça o sistema imunológico após quimioterapia ou radioterapia, fortalece os portadores de soro A positivo.

O “sangue de drago” é usado por indígenas das florestas tropicais da América do Sul. Sua seiva vermelha é usada principalmente sobre feridas para estancar sangramentos, acelerar a cura e proteger de infecções. A seiva seca rapidamente e forma uma barreira como uma segunda pele. Outros usos indígenas incluem o tratamento de febres, infecções intestinais, sangramentos pós-parto e problemas da pele.

Tradicionalmente no Brasil, recomenda o “Sangue de Drago” como um agente cicatrizante. Vem sendo utilizado e testado também nos tratamentos das doenças virais e da infecção respiratória, diarréia, influenza, hepatite, para o tratamento de diabetes, contra o vírus causador do Herpes, e da diarréia associada ao vírus da AIDS.

Muitas substâncias com potencial curativo são encontradas no “sangue de drago” entre elas a Proantocianadina (antioxidante); phenolas; diterpenas; um alcalóide chamado Taspine; e taninas (dimetilcedrusina).
Rica também em Picnogenol. O pycnogenol é um extrato natural, combate as doenças degenerativas, elimina os radicais livres, combate o envelhecimento precoce e o aparecimento de manchas na pele, age rejuvenescendo a pele e prevenindo o aparecimento de manchas.

Walter Lewis em 1992 solicitou patente sobre o processo de isolamento da taspine, para cura de feridas. Outra patente depositada por Walter Lewis e Wound Fast Pharmaceuticals, Inc., em 1995, é a da preparação da taspine e sua ação cicatrizante mais rápida.

A Shaman Pharmaceuticals depositou sua primeira patente em 1993, descrevendo os métodos para extração de um polímero chamado proanthocyanidina. Isolado a partir da resina e da casca da árvore é utilizado para tratamento de animais e humanos com infecção respiratória, influenza A, B e C, e vírus Herpes Simplex. O documento cita numerosos experimentos clínicos.

MODO DE USAR

USO INTERNO
USO EXTERNO
Como antioxidante: tomar 3 gotas por dia, antes do café da manhã.
Para passar sobre o ferimento: (spray: 10 gotas diluídas em 100ml de soro fisiológico) ou 4 gotas em meia xícara de água fria.
Em caso de problemas osteo-articulares, reumatismo, ossos em geral: tomar 5 gotas 3 vezes ao dia, antes das refeições.
Para higiene íntima feminina: colocar 8 gotas em meia xícara com água fria e aplicar com algodão.
Havendo qualquer reação alérgica, suspenda o uso imediatamente e procure um médico.



Contra indicações: Gestantes e lactantes


Instituto Calderaro de Terapia Holistica - 2012/ Desenvolvido por Patricia Calderaro.